sexta-feira, 4 de setembro de 2009

A ÚLTIMA DAS GRANDES REVOLUÇÕES

Não comungo com a idéia de que "todo castigo prá corno é pouco" por pura solidariedade, mas sem dúvida os cornos formam uma classe bastante desunida. Existem cornos de diversas qualidades - corno-xuxa, corno-detetive, corno-ateu, etc. -; no entanto, eu nunca vi corno unido; por isso Demerval surpreendeu-me tanto.
Corno iluminista, Demerval abriu um precedente histórico ao iniciar uma mobilização pró-corno revolucionária inspirada na Revolução francesa.
Ele vivia para o trabalho e o casamento; até que um dia, depois de comer um pastel vencido, passou mau no escritório e voltou cedo para casa...E assim começou a última das grandes revoluções.

DEMERVAL CONHECE O PRIMEIRO COMPANHEIRO.

A vida de Demerval parecia não ter mais sentido algum - desabituou-se a tomar banho, deixou a barba crescer e perdeu o interesse pelo trabalho.
Numa noite típica de cidade pequena afogou as magoas na mesa de um bar ao cume do derradeiro suspiro da consciencia, acordando na manhã seguinte sem saber como conseguira chegar em casa. Após levantar da cama avistou um bilhete pousado na mesinha de cabeceira. Pegou-o, abriu e leu:

"Conheço bem essa dor quardada no peito, Demerval, mas eu e você não somos os únicos.
Apareça no bar do Tonho, sabado, às 22 hs para tomarmos uns tragos ouvindo a boa musica do Reginaldo Rossi.
A propósito, meu nome é Alcides, o cara que trouxe você para casa."

REVOLUÇÃO, CACHAÇA E GALHA.

No dia marcado Demerval entrou no bar do Tonho, às 22 hs pontualmente. Olhou em volta e viu que todas as mesas estavam ocupadas. Mirou vários rostos na tentativa de ser reconhecido pelo tal do Alcides, já que não lembrava de te-lo conhecido. Não lembrava de nenhum corno chamado Alcides, mas logo percebeu um homem olhando em sua direção. Era o Alcides. Aproximou-se, apertaram as mãos e Alcides convidou-o a sentar-se.
As horas escorregaram tão rápido e suave que Demerval nem se deu conta. Tão naturalmente também falou da vida conjugal e particularmente da traição.
- Pois é, Demerval, como eu havia dito no bilhete, não somos os únicos nessa situação. No início é meio sofrido, mas depois pode ser divertido...
- Como assim, divertido ? - interrompeu Demerval.
- é que no começo todo corno sofre igualmente, mas depois que a poeira acenta descobrimos o prazer no que antes era dor !
- Tá maluco ? Como posso gostar de ser traído ?
- Chifre é um lance psicológico, Demerval. É só uma coisa que colocam na sua cabeça!
Depois daquela noite ambos tornaram-se grandes amigos e Alcides confessou ser adepto do swing entre casais, convidando Demerval a transar com a sua esposa. Esse triangulo deixou-o cada vez mais convencido de que Alcides tinha razão quanto a dizer que o que antes era dor transformava-se em prazer.
- Puxa vida, Alcides, só agora percebo o quanto minha ex-mulher é especial. Aquilo é mulher prá corno nenhum botar defeito !
- Pois é, os valores morais são conceitos relativos. No nosso grupo, por exemplo, o ofício de corno é que é normal.
Imagine quantos cornos têm por aí obrigados a viverem uma relação monogamica chata e careta por conta de um moralismo hipócrita !
- Já sei: Vou me candidatar a prefeito e lutar pelos nossos direitos !
- Beleza ! Mas não esqueça que todo prefeito tem uma primeira-dama.
- E chifre !
Em meio a polêmicas e chacótas Demerval arregimentou quatorze mil simpatizantes numa cidade de aproximadamente trinta mil habitantes elegendo-se prefeito.
Dentre os seus maiores feitos revolucionários destacam-se o vale-hotel, destinado a maridos que depois de flagrar a mulher em casa com o Ricardão possam dormir em qualquer hotel, evitando que ela abandone o lar, e a inclusão da passeata do orgulho corno no calendário anual de festas populares da cidade. Contudo, diz a lenda que o sucesso da revolução foi possível devido ao desempenho da primeira-dama em persoadir os vereadores com suas "especiais habilidades diplomáticas" a votarem nos projetos de Demerval.

5 comentários:

Enzo de Marco disse...

Ollá meu caro iai beleza???
Rapaz domingo vai acontecer o som dos caras lá no teatro plataforma muito bom . Ah e por sinal essa coisa dechifre .... kakakkaa
sauda~ções meu velhoooooooooo

Larissa disse...

sensacional.
Bostamcity vai ter um prefeito assim... eu ajudo a eleger.
hahahahah

bjo JOrginho!

Elaine Crespo disse...

Adoro aqui! orinalidade não falta!
Gostaria de me desculpar e ao mesmo tempo explicar a você a minha falta de comentários no seu blog! Quando vou postar coloco os post no Blog e vou me deitar! Coloco Maximo de posts possíveis, pois pode ser que no dia seguinte minha saúde não me permita postar!
Leio os post de todos mais se parar para comentar não Dara tempo para terminar minhas postagens porque não posso passar tanto tempo no computador!
O resto do dia o ele fica para pesquisa e uso de meus dois filhos!
Não pense que é negligência visito a todos e amo cada blog de minhas listas e os seus donos!!

Um ótimo Fim de semana prolongado!

Um beijo grande
Elaine

Vassago disse...

XADREZ

1.
Em seu grave rincão, os jogadores
as peças vão movendo. O tabuleiro
retarda-os até a aurora em seu severo
âmbito, em que se odeiam duas cores.

Dentro irradiam mágicos rigores
as formas: torre homérica, ligeiro
cavalo, armada rainha, rei postreiro,
oblíquo bispo e peões agressores.

Quando esses jogadores tenham ido,
quando o amplo tempo os haja consumido,
por certo não terá cessado o rito.

Foi no Oriente que se armou tal guerra,
cujo anfiteatro é hoje toda a terra.
Como aquele outro, este jogo é infinito.

2.
Rei tênue, torto bispo, encarniçada
rainha, torre direta e peão ladino
por sobre o negro e o branco do caminho
buscam e libram a batalha armada.

Desconhecem que a mão assinalada
do jogador governa seu destino,
não sabem que um rigor adamantino
sujeita seu arbítrio e sua jornada.

Também o jogador é prisioneiro
(diz-nos Omar) de um outro tabuleiro
de negras noites e de brancos dias.

Deus move o jogador, e este a peleja.
Que deus por trás de Deus a trama enseja
de poeira e tempo e sonho e agonias?

Chuvinha disse...

Adorei! Afinal nós mulheres SEMPRE convivemos bem com os chifres...rs